Dicas de Fotografia

Todo mês, uma nova dica para você fotografar cada vez melhor!

DICA 1

          Muito bem, vamos à primeira dica. Na verdade, serão duas dicas diferentes para vocês, logo de saída. Uma é sobre foco e a outra sobre controle de produção.

          Hoje vou abordar o foco de uma forma bastante simples e genérica. No futuro, vamos abordar esse assunto mais a fundo. O que acontece, é que muita gente perde ótimas fotos simplesmente porque não dá tempo para a máquina fazer o foco corretamente. Elas vêem uma imagem interessante, tiram a câmera digital rapidamente da bolsa, ligam e disparam. Afinal, a câmera não é digital? Não é super tecnológica e moderna? Então, com certeza, o mínimo que ela vai fazer é focar corretamente, certo? Errado. Se você não “disser” a ela o que ela deve focar, muito provavelmente sua foto vai sair desfocada.

         E como fazemos isso? Simples (ou nem tanto!). Todo disparador de câmera digital (o botão que faz disparar as fotos) funciona em dois estágios: quando você o aperta até o meio do caminho, ele procura o foco, de acordo com o tipo de foco que você selecionou na máquina (central, múltiplo, infinito, etc.). Isso, se sua máquina já não estiver em um modo totalmente automático. Neste caso, você não conseguirá modificar o tipo de foco.

         Quando a máquina consegue focar corretamente, ela geralmente emite um bipe sonoro e/ou deixa de piscar uma luzinha, que passa a ficar parada na tela. Agora sim você já pode passar para o segundo estágio do disparador, ou seja, tirar a foto propriamente dita. Mas como focar em um objeto (ou pessoa) em movimento? Dependendo da direção em que se move o objeto, você pode prever onde ele vai estar daqui a 2 segundos. Então você pode focar no chão ou em outro objeto próximo a ele, segurar o foco, e quando seu objeto principal chegar àquele ponto, você bate a foto. Tendo total controle sobre isso, você pode até começar a fazer experiências interessantes, como focar em um objeto e, mantendo o foco com o dedo pressionado, recompor a sua foto, mudando a posição da máquina e, só aí, bater a sua foto.

         Como já estou me alongando um pouco, vou falar rapidamente sobre controle de produção. No futuro, vou entrar mais a fundo neste assunto, que é muito importante. Com a chegada da fotografia digital, não precisamos mais economizar na quantidade de fotos que batemos. Até 15 anos atrás, para tirar cerca de cinqüenta fotos, revelar e copiar, gastávamos quase cem reais. Hoje, batemos centenas de fotos de um mesmo tema em um mesmo momento. Depois, vamos para o computador e despejamos aquelas centenas de fotos em nosso HD, para num futuro distante selecionarmos as que gostamos mais, se tivermos sorte.

         Meu conselho é: Assim que tiver uma pausa, DELETE FOTOS!!! Antes mesmo de passar para o computador. Digamos que hoje você bateu 23 fotos do seu lindo bebezinho de seis meses. (Qualquer semelhança não é mera coincidência…) Antes de dormir, pegue sua câmera de novo e repasse essas 23 fotos para ver se vale a pena guardar mais do que quatro ou cinco. Lembre-se: menos é mais. Senão, você pode acabar com duas mil fotos do seu bebezinho aos seis meses e não ter cinqüenta fotos realmente bonitas para mostrar para ninguém. E acredite, nem a avó dele vai ter paciência para ver duas mil fotos no computador!

         Quando voltar a falar sobre controle de produção, vou abordar a organização das fotos em seu computador. Mas, na próxima dica, vou falar sobre composição, talvez o aspecto mais importante da fotografia. Até lá!

DICA 2 

Muito bem, hoje vamos falar de composição ou enquadramento. Como já disse na primeira dica, para mim, a composição é a questão mais importante da fotografia. É ela que transforma uma foto sem graça, muitas vezes feia mesmo, numa foto interessante e agradável de se ver. Como a questão é ampla, vamos direto ao assunto ‘sem mais delongas’.

Vamos abordar primeiro o assunto principal da maioria das fotografias amadoras: pessoas. A maioria de nós acredita que, se a pessoa estiver aparecendo na foto e sair no foco, já batemos uma boa foto. A verdade é que existem algumas regras básicas para se fotografar pessoas.

Para começar, as pessoas precisam “respirar”. Ou seja, nada de cortar um pedacinho da cabeça ou um pedacinho dos pés. Ou você fotografa a pessoa de corpo inteiro, e aí normalmente o melhor é colocar a máquina na vertical (formato ‘retrato’), ou pega da cintura para cima (‘meio close’), ou basicamente dos ombros para cima (‘close’). Em qualquer uma dessas três posições, podemos fotografar tanto na posição retrato quanto na paisagem (horizontal), mas normalmente a posição retrato, como o próprio nome já diz, é a mais adequada para tirar “retratos”. É claro que, se quisermos colocar também a paisagem ao fundo na foto, podemos e devemos bater a foto no sentido horizontal. E aí aproveito para conversar sobre outra questão. Por que colocar a pessoa sempre no meio da foto? Existe uma regra em fotografia chamada “regra dos terços”, que diz que os pontos de maior interesse visual em uma foto são obtidos quando dividimos a foto com duas linhas horizontais e duas verticais, dividindo o espaço igualmente em nove pedaços. Os quatro pontos em volta do retângulo central seriam os pontos de ouro, ou seja, os pontos que mais atraem o nosso olhar. Veja abaixo. 

       

 

Isso acontece porque quando colocamos uma pessoa centralizada na foto parece que ela está presa ali, sem movimento. Quando colocamos em um dos terços, parece que a pessoa, o animal, ou até mesmo uma flor, tem todo o outro lado da paisagem para respirar, olhar, correr, etc. Isso não funciona apenas com pontos, mas também com regiões da foto. Sempre que possível, devemos tentar escolher o terço superior ou inferior da foto para colocarmos uma paisagem, como um horizonte, por exemplo. Muitas vezes, nossa tendência é centralizar a linha do horizonte no meio da foto. Embora isso possa funcionar muitas vezes, quando, por exemplo, queremos mostrar o mar ou um lago refletindo o céu como um espelho, em outras vezes a foto fica novamente dura, estática, sem movimento. Quando colocamos o céu nos dois terços superiores da foto, e o mar apenas no terço inferior, queremos enfatizar a beleza ou grandiosidade do céu. Quando fazemos o contrário, provavelmente estamos querendo realçar algum aspecto do mar. Até a próxima dica!

 

Anúncios

4 respostas para Dicas de Fotografia

  1. Venicio Veiga disse:

    Ótima dica, você tem toda razão. Eu bati 2000 fotos na viagem que fiz a Europa e ainda não vi todas.
    Um forte abraço

  2. Pois é, Venício. Nesse tipo de viagem, em que estamos longe de casa por vários dias, o ideal é irmos deletando fotos todo dia antes de dormir, para começarmos ‘tudo de novo’ no dia seguinte sem acumular fotos repetidas ou que não ficaram boas. Um grande abraço e apareça sempre!

  3. Christiane disse:

    Olá, Pavlos..adorei suas dicas, realmente vc tem toda razão… a dica q vc falou sobre um objeto em movimento, foi ótima..irei tentar….adorei seu blog…e vou aguardar mais dicas, heim!!!

  4. Cyntia C disse:

    Muito bom Pavlos, gostei muto das dicas e do seu Blog. Parabéns!
    Bjs!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s